Vereador Eric Lins: nasce um censor!

Vereador Eric Lins: nasce um censor!

Recentemente Uruguaiana foi atingida por um reflexo da postura ultraconservadora e reacionária do Movimento Brasil Livre – MBL – quando, em Porto Alegre e São Paulo (e mais recentemente no Rio de Janeiro, em conluio com o movimento evangélico) seus membros e simpatizantes articularam para que o Museu de Arte Moderna (MAM) cancelasse a exposição de arte denominada QueerMuseu, alegando, dentre tantos delírios, que esta conteria material de apologia a pedofilia, zoofilia e uma montanha de barbaridades que fariam as instituições do reich nazista orgulharem-se em jubilo.

Essa semana o vereador Eric Lins (DEM) levou para aprovação de seus pares a retirada do livro “Queermuseu – Cartografia da diferença da arte brasileira” das estantes da Biblioteca Publica Municipal com a justificativa de que, segundo a sua particular percepção, é uma obra indigna de estar a disposição da comunidade e que corrompe a cultura e a moral de jovens e adultos.

Segundo notícias chegadas na redação deste blog, a Câmara Municipal de Uruguaiana já estaria prestes a aprovar tal proposição e encaminhar ao prefeito Ronnie Mello para que tais volumes fossem retirados da biblioteca pública municipal e devolvidos aos remetentes.

O vereador Eric Lins inclusive gravou um vídeo no qual expõe de forma bastante clara suas pretensões de verdadeiro censor das artes, da literatura, do pensamento, da liberdade, etc.

Um vereador que foi eleito pelo voto popular livre e democrático deveria ter ferrenho compromisso com a democracia e seus valores, dentre os quais se insere a liberdade de expressão cultural e artística.

Todavia o edil parece não dar muita (ou nenhuma) importância para isso.

Surfando na onda do desvario midiático do MBL no caso do MAM, o vereador Eric Lins ainda insiste em assegurar que não faz parte desse grupo de oportunistas que aos poucos vão sendo desmascarados (vide matéria na Revista Piaui), e parte para o ataque aos mais caros valores democráticos.

Sem qualquer constrangimento, o Vereador Eric Lins filma a si mesmo e o vídeo resultante publica nas redes sociais e no YouTube, mostrando o livro que apanhou da Biblioteca Pública Municipal ao tempo em que tece comentários moralizantes sobre o seu conteúdo, taxando-o, em suma, de ser indigno, impróprio para a leitura do cidadão uruguaianense vez que, segundo ele, faria apologia a pedofilia, zoofilia, blasfêmia, etc.

Como se vê, esse Vereador, e agora também Censor Cultural local, conclui por retirar da biblioteca pública municipal uma obra a qual, ao seu bel talante, sob sua visão particular, pessoal e subjetiva do conceito de arte, que arrogantemente entende ser superior, justo e acertado acima de todos os demais cidadãos uruguaianenses, seria uma afronta a “moral e aos bons costumes da sociedade cristã” que ele representa.

Com o “livro maldito” em mãos, o Vereador/Censor avança sobre seus pares requerendo uma moção de repúdio ao Santander Cultural e recomendação do Poder Legislativo ao Poder Executivo (comandado pelo seu particular amigo Prefeito Ronnie Mello), para que o retire das estantes da biblioteca pública municipal e devolva os exemplares da obra a quem os tenha enviado.

E a aprovação desta sua nefanda proposição, que remonta aos horrores dos anos de chumbo, quando a sociedade brasileira vivia cativa de censores canalhas e corruptos e que a arte era sufocada, artistas eram perseguidos, e tudo que poderia contestar o Estado Militarista de Exceção era derrubado, calado, amordaçado, essa aprovação será fácil demais pois o Vereador Eric Lins (DEM), efetivamente, é quem manda no campinho da CMU, uma vez que com sua perspicácia acima da média conseguiu colocar o “cabresto moral”, a canga, o freio em praticamente todos os 10 vereadores que lhe acompanham e concordam com todas as suas proposições e projetos, salvando-se dai talvez um ou dois edis. Imagino o quanto este “SuperEdil” deve se divertir com isso.

Essa é sem dúvida alguma, amigos e amigas leitores, uma das páginas mais tristes e lamentáveis vindas do Poder Legislativo de Uruguaiana, porque atinge a liberdade do cidadão uruguaianense e nos deixa menores, diminutos diante do mundo.

Esperamos (como diria o sábio Gandalf, “com a esperança dos tolos”) que o prefeito Ronnie Mello (PP) tenha a lucidez de rejeitar esta vergonha, esse nojo, essa usurpação de direitos do cidadão proposta por um parlamentar sem qualquer compromisso com os mais basilares valores e princípios democráticos.

Vergonha, Sr. Vereador Eric Lins! Vergonha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 thoughts on “Vereador Eric Lins: nasce um censor!”

  1. Será que estamos em 2017?! O cenário municipal é cada vez mais retrógrado e reacionário! Daqui a pouco se surgir uma fogueira no meio da Praça do Barão como na época da Inquisição medieval não será surpresa!! Tudo em nome da moral!

  2. Também sou contra a censura e contra o Jair Bolsonaro.
    Mas foto de ejaculação na cara, zoofilia. … não é um pouco demais?
    Por que não criamos um livro com fotos de decapitações, estupros e gente comento cocô também?
    Sempre haverá quem veja isso como arte.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com